(41) 3339-4251 | (41) 3339-2932 | (41) 3044-3251 | (41) 99898-4251Whats up
contato@michaeliscirurgiavascular.com.br

Entre em contato conosco!

Doenças Vasculares

Pé diabético

Qual a importância do diabetes?

É uma epidemia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 2025 teremos cerca de 300 milhões de pessoas com a doença, a maioria em países pobres, gerando um gasto de mais ou menos 10% do orçamento da saúde pública para o seu tratamento.

O que é pé-diabético?

O pé humano é uma estrutura altamente especializada, que dá suporte e locomoção, além de ser importante para a estética. É constituído de delicadas estruturas ósseas, ligamentos e músculos, harmoniosamente balanceadas, visando a uma função complexa. Para isso, conta com uma rede vascular especializada, constituída de artérias, veias e vasos linfáticos, além de nervos.

Os diabéticos, em face da intolerância à glicose causada pela diminuição de insulina circulante, desenvolvem problemas em vários setores do organismo, que são tanto mais graves e precoces quanto pior for o controle da hiperglicemia (açúcar alto no sangue). Uma das estruturas que sofre com esse descontrole glicêmico é o pé, recebendo a denominação de pé diabético.

Quais as alterações do pé-diabético?

Incluem a neuropatia (alteração da função do nervo) a arteriopatia (alteração do fluxo sangüíneo pelas artérias) e a infecção (diminuição da resistência aos micróbios).

Sensibilidade

Qual o tratamento para o pé-diabético?

Nem sempre o tratamento clínico é suficiente e, às vezes, somos obrigados a lançar mão da cirurgia, através das pontes, como a ponte de safena. Muitas vezes já existe necrose. Neste caso, o cirurgião vascular realizará uma drenagem cirúrgica ou um desbridamento da lesão, retirando a parte do tecido necrosado (morto).

Quando a parte necrosada for extensa (gangrena), o cirurgião deverá realizar uma amputação. Esta solução, extrema, é, às vezes, o único recurso para salvar a vida do paciente, já que a gangrena poderá levar o paciente diabético ao óbito.

Quais as medidas de prevenção de complicações?

  1. Examine, todos os dias, os seus pés. Verifique se existem bolhas, calos, úlceras, micose entre os dedos ou infecções. Examine seus pés pela manhã ao acordar, e à noite, ao deitar. Use um espelho para "olhar" as solas dos pés ou peça a ajuda de um parente, amigo ou vizinho.
  2. Passe as mãos dentro de seus sapatos. Não use sapato antes de examiná-los com as mãos. Não use sapatos apertados. Cuidado com sapatos novos ou sandálias. Mas nunca ande descalço. Mesmo em casa, use um calçado. Nunca ande descalço na praia.
  3. Lave bem e diariamente os pés, usando água morna. Use sabão neutro. Nunca deixe de enxugar bem os pés e entre os dedos.
  4. Andar é o melhor exercício para a circulação. Ande pausadamente e de forma regular. Mesmo alguns quarteirões por dia já são suficientes. Entretanto, no caso de feridas ou lesões, pode ser o repouso necessário. Consulte seu médico.
  5. Abandone o hábito de fumar, para preservar a sua circulação.
  6. Corte as unhas com cuidado, evitando machucar os bordos da unha e a pele. Não corte os calos, lixe-os delicadamente e regularmente. Não retire as "cutículas", ela protege sua unha. Não permita que extraiam sua unha sem exame médico prévio.
  7. Nos dias frios, proteja os pés usando meias de lã ou algodão, de prefer, bem folgadas. Nunca use nada que aperte seus pés e possa prejudicar o fluxo sangüíneo.
  8. Nunca confie em sua sensibilidade térmica (de temperatura) ou dolorosa (de dor). Evite os excessos de calor e frio. O fato de você sentir que seu pé está "frio" não significa que este esteja. Nunca aplique saco de água quente nos pés.
  9. Nunca use remédios ou produtos químicos nos pés sem consultar o especialista. Devido ao diabetes, produtos corriqueiros podem ser danosos para a sua pele.
  10. É importante que você visite seu médico com regularidade, mesmo que pense que está tudo bem. Procure saber o endereço e os telefones de seu médico, bem como os de seus assistentes. Se não encontrá-lo, procure um pronto-socorro.
  11. Controle rigoroso da glicemia, colesterol, triglicérides e ácido úrico;
  12. Praticar esportes de baixo impacto como caminhadas, bicicleta ergométrica, natação e hidroginástica.
  13. Controlar rigorosamente o peso;
  14. Evitar comer carne e gordura de porco, pele e pé de frango, frituras, chocolate, amendoim, abacate, manteiga, nata de leite e alimentos ricos em amido (pão, macarrão, batatinha, mandioca, arroz, feijão) e doces;
  15. GOSTAR MAIS DE VOCÊ MESMO!

Veja também

  • Vasculite

    O que é vasculite? O termo vasculite significa, literalmente, inflamação do vaso (vasculum em latim significa vaso sangüíneo ou linfático, e ite, inflamação). O termo é genérico, mas é utilizado para denominar um grupo de entidades anatomoclínicas caracterizadas por inflamação ou necrose da parede do…

    Continuar lendo
  • Doenças do sistema linfático

    O que são vasos linfáticos e qual a sua função? Os linfáticos são pequenos vasos, com menos de 3mm de diâmetro, cuja função é transportar linfa pelos gânglios (também conhecidos como linfonodos). Uma das principais funções do sistema linfático é de "transportar" as proteínas, outras substâncias e líquidos…

    Continuar lendo
  • Pé Diabético

    O que é o pé diabético? É quando o pé sofre por problemas vasculares, e/ou neurológicos, e/ou infecciosos, decorrente da diabetes.Quando a doença agride o vaso sanguíneo, ocorre o entupimento das artérias, portanto a irrigação do sangue fica prejudicada acarretando dor ao caminhar, palidez no pé ou…

    Continuar lendo
  • Orientação para pacientes com varizes

    Evitar ficar de pé ou sentado por mais de uma hora. Movimentar-se, pois os exercícios melhoram a circulação das pernas. Quando as pernas estiverem inchadas, mantê-las elevadas durante a noite com um calço sob os pés da cama. Colocar travesseiro embaixo dos pés. Não submeter o corpo à exposição prolongada…

    Continuar lendo

NEWSLETTER | Cadastre-se para receber nossas publicações.