(41) 3339-4251 | (41) 3339-2932 | (41) 3044-3251 | (41) 99898-4251Whats up
contato@michaeliscirurgiavascular.com.br

Entre em contato conosco!

Doenças Vasculares

Orientação para pacientes com varizes

  • Evitar ficar de pé ou sentado por mais de uma hora. Movimentar-se, pois os exercícios melhoram a circulação das pernas.
  • Quando as pernas estiverem inchadas, mantê-las elevadas durante a noite com um calço sob os pés da cama. Colocar travesseiro embaixo dos pés.
  • Não submeter o corpo à exposição prolongada de temperaturas elevadas tipo sauna, sessões de bronzeamento, banhos quentes demorados, porque também provocam uma maior dilatação dos vasos.
  • Não usar vestes que dificultem o retorno venoso.
  • Os sapatos sem saltos ou de saltos demasiadamente altos são desaconselháveis --> impedem a ação da bomba da panturrilha.
  • Combater a obesidade.
  • Manter uma dieta equilibrada, controlando o excesso de sal, condimentos e frituras.
  • Controlar outras doenças concomitantes como por exemplo diabetes e hipertensão.
  • Fazer breves repousos com os membros inferiores elevados.
  • Corrigir alterações do aparelho locomotor (artrose, rigidez da articulação etc.).
  • Praticar exercícios físicos que ativem a musculatura da panturrilha. As ginásticas, a marcha e esportes como natação e o ciclismo são recomendáveis. Evitar: esportes que exijam movimentos bruscos ou de esforço estático como halterofilismo.
  • Manter higiene dos pés, evitando traumas e micoses, que constituem porta de entrada para bactérias.
  • No calor aumentar a ingestão de água e líquidos.
  • Anticoncepcionais e outros medicamentos só devem ser tomados sob prescrição médica.
  • Use meia elástica conforme a orientação de seu Médico Cirurgião Vascular.

Cirurgia de varizes

Vou ficar com a perna cheia de cicatrizes?

Não. As varizes e microvarizes são retiradas por orifícios de 1 milímetro feitos na pele. Os cuidados durante e depois da cirurgia garantem uma boa cicatrização e a eliminação das marcas.

Quanto tempo tenho para ficar em repouco após a cirurgia?

Varia de um dia (pequenas áreas da perna, tratadas na própria clínica com anestesia local) a quatro semanas. Por exemplo, cirurgias grandes sem a retirada de veias safenas requerem poucos dias de repouso. Em casos complexos, de veias de grosso calibre, recomenda-se de duas a quatro semanas.

O pós-operatório é doloroso?

Geralmente não. Este tipo de cirurgia evoluiu muito nas últimas três décadas. Cortes, pinçamentos de veias e pontos foram substituídos por pequenas perfurações na pele, "pesca" das veias com agulhas de crochê e fitas adesivas, respectivamente. Desta forma a agressão é mínima.

Por onde vai passar o sangue que está circulando após a cirurgia?

As veias varicosas não funcionam corretamente e fazem com que o sangue circule no sentido errado. Quando essas veias são retiradas, a circulação vai melhorar. O sangue vai circular pelas outras veias.

É uma cirurgia de alto risco?

É um dos procedimentos cirúrgicos de menor risco. Vários aparelhos automáticos - obrigatórios por lei - monitoram os dados vitais do paciente durante a cirurgia e detectam precocemente qualquer alteração.

Que tipo de anestesia é feita para uma cirurgia de varizes?

Algumas pequenas veias podem ser extirpadas sob anestesia local. Cirurgias maiores requerem anestesia mais ampla, geralmente peridural ou raquianestesia. Em ambos os casos, pode-se associar uma sedação, visando maior tranqüilidade e conforto do paciente.

Tenho medo de anestesia, o que posso fazer para amenisá-lo?

Uma consulta com um anestesiologista (ou anestesista) é um bom começo. Este médico especialista poderá explicar sobre as diferentes técnicas e toda a tecnologia disponível para sua segurança. É ele quem cuidará de você durante toda a cirurgia e por algum tempo depois dela. Faça perguntas, tire suas dúvidas!

Como a tecnologia pode ajudar na segurança da anestesia?

Monitores de sinais vitais: aparelhos computadorizados que permite a avaliação da onda de eletrocardiograma, freqüência cardíaca, pressão arterial, pulso, oxigenação, temperatura corpórea, e até a concentração do ar carbônico exalado.

Orientação de pós-operatório de cirurgia de varizes

No Hospital: Assim que estiver recuperado da anestesia (acordado/movimentando as pernas), se desejar, poderá levantar-se com o auxílio da enfermagem, para ir ao banheiro.

Em Casa: Se a residência tem escadas não há nenhum problema em subi-las devagar. Procurar ficar um pouco mais em repouso nos 2 primeiros dias após a cirurgia: deitado ou sentado com apoio sob as pernas. Apesar disso, você está liberado para movimentar-se pela casa, ir ao banheiro, fazer refeições, atender ao telefone, etc. e deve andar de 10 a 15 minutos cada 1 hora. Depois, a medida que se sentir bem este tempo pode ir sendo aumentado progressivamente.

  • Dieta livre.
  • Não molhar as faixas. Retirá-las após 3 dias da cirurgia e após usar meia elástica.
  • Após a retirada das Faixas os banhos podem ser normais. Não retirar os micropores.
  • Em caso de dor pode ser utilizados analgésicos comuns prescritos.
  • Sol: evitar exposição (praia, piscina, etc.) durante 30 dias.
  • Primeira revisão pós operatória: Você retornará ao consultório para retirar os curativos e os pontos 5 ou 7 dias após a cirurgia.

Situações normais:

  1. a) Sensação de peso nas pernas quando anda;
  2. b) Pequenos "caroços" serão sentidos ao passar o creme ou o gel.
  3. c) Perda de sensibilidade em alguns pontos da perna. Mais comum quando a safena é retirada;
  4. d) Edema ("inchaço") quando começar a ficar mais tempo em pé.
  5. e) Fazer contato telefônico com o cirurgião ou procurar o Hospital onde a cirurgia foi realizada em caso de febre, áreas avermelhadas ou inchaços exagerados.

Veja também

  • Vasculite

    O que é vasculite? O termo vasculite significa, literalmente, inflamação do vaso (vasculum em latim significa vaso sangüíneo ou linfático, e ite, inflamação). O termo é genérico, mas é utilizado para denominar um grupo de entidades anatomoclínicas caracterizadas por inflamação ou necrose da parede do…

    Continuar lendo
  • Células tronco e isquemia crítica

    Uso de células tronco para isquemia crítica A isquemia crítica é uma forma de doença vascular periférica que é definida como sendo o fluxo arterial insuficiente para manter as funções normais dos tecidos. Têm uma incidência de 300 casos por milhões de habitante por ano e apesar dos tratamentos atualmente…

    Continuar lendo
  • Arteriosclerose

    O que é arteriosclerose? Arteriosclerose é caracterizada pelo depósito de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias, reduzindo seu calibre e trazendo um déficit sangüíneo aos tecidos irrigados por elas. Seu desenvolvimento é lento e progressivo, e geralmente é necessário haver uma obstrução…

    Continuar lendo
  • Insuficiência Vascular Cerebral

    Qual a relação das artérias carótidas (do pescoço) com a insuficiência vascular cerebral? As artérias carótidas são responsáveis pelo suprimento sanguíneo cerebral, e, quando acometidas por uma placa aterosclerótica ("placa de gordura"), podem determinar manifestações de isquemia cerebral, seja pela…

    Continuar lendo

NEWSLETTER | Cadastre-se para receber nossas publicações.